-->

Processo de fabricação do cigarro

Os cigarros são compostos geralmente por uma pequena quantidade de tabaco (ou fumo) seco e picado, que é enrolado em uma espécie de papel fino ou palha de milho, para poder ser consumido (“fumado”). Ao contrário do que muitos pensam, o seu processo de fabricação não é tão simples, pois, exige um alto controle de qualidade.

processo fabricação cigarro


Observação: O site é totalmente contra o consumo do tabaco, devido aos riscos que o mesmo oferece a saúde. O texto abaixo apresenta didaticamente apenas a história do uso do tabaco e o processo de produção do cigarro.

História da origem do cigarro


Os historiadores acreditam que o tabaco começou a ser cultivado no continente americano aproximadamente a cerca de 8000 a.C pelos índios das Américas, que o consideravam uma planta sagrada. O tabaco é uma planta originária da região dos Andes, que acompanhou os índios em suas migrações pela América Central, até chegar ao território brasileiro.

No entanto, o primeiro registro arqueológico encontrado referente ao ato de fumar é um vaso de cerâmica maia do século X, decorado com a imagem de um grupo de maias tragando um charuto feito de folhas enroladas e amarradas com uma espécie de barbante. Os meios de enrolar as folhas de tabaco variavam entre os nativos americanos, sendo que os astecas colocavam as folhas de tabaco dentro de tubos de cana, e outros nativos americanos envolviam o tabaco em cascas de milho.

Em 1492, quando os colonizadores espanhóis chegaram a América, o tabaco era consumido em cachimbos e na forma de charutos primitivos, além de também ser aspirado como rapé (folhas de tabaco torrado e moído). Nessa época, o habito de fumar havia se espalhado por boa parte das Américas.

primeira imagem conhecida homem fumando cachimbo tabaco
A primeira imagem conhecida de um homem fumando um cachimbo com tabaco (1595).

Tabaco na Espanha e em Portugal


O navegador espanhol Rodrigo de Xerez (Jerez), que veio juntamente com Cristóvão Colombo, após provar um cachimbo dos índios das Bahamas, não ficou mais nenhum dia sem fumar o tabaco. Quando Rodrigo voltou para Espanha, ele levou um pouco de tabaco em sua bagagem, para apresentar-lo aos espanhóis.

rodrigo xeres (jerez) américa
Rodrigo de Xeres (Jerez) na América
Depois de um tempo, o consumo de tabaco foi ganhando popularidade entre os espanhóis, que acabaram criando outros métodos para consumir as folhas de tabaco, pois, os primeiros charutos que surgiram eram bem caros e restritos aos ricos da época. No entanto, os trabalhadores de Sevilha que não tinham dinheiro para comprar os charutos arrumaram um jeito de poder dar umas tragadas, pegando restos de charutos nas ruas, picando e enrolando tudo em uma espécie de papel fino, e assim acabou nascendo o cigarro, que é um termo que vem do termo “cigarette” que foi criado pelos franceses.

Devido a grande popularidade do uso do tabaco que crescia dia após dia, os espanhóis, que tinham começado a cultivar o tabaco nas Índias Ocidentais por volta de 1530, logo começaram a plantar tabaco também em sua própria terra natal. Não demorou muito tempo, e Portugal também começou a consumir o tabaco.

Tabaco na França


Em 1559, o embaixador Frances Jean Nicot de Villemain, enviado a Lisboa para supervisionar as preocupações comerciais francesas e organizar o casamento entre Margaret de Valois e Sebastião I de Portugal, que havia se tornado rei em 1557, aos três anos. Infelizmente, a organização do casamento acabou não dando certo, mas felizmente ao mesmo tempo em Lisboa, Nicot foi introduzido ao tabaco, a planta que acabaria por torná-lo famoso.

Nicot aprendeu sobre as propriedades medicinais com o português Damião de Góis e ficou intrigado com isso, logo, decidiu testar uma pomada de tabaco em um homem lisbonense com um tumor, o qual foi curado. Esse fato fez com que Nicot ficasse convencido de que pudesse encontrar outras aplicações medicinais para o tabaco.

retrato jean nicot image
Retrato de Jean Nicot
Em 1560, Nicot enviou uma carta para a rainha da França com sementes de tabaco, figos, laranjas e limões, incluindo um texto sobre as propriedades medicinais do tabaco. Em 1561, Nicot retorna à França e presenteia a rainha com uma planta de tabaco. Acredita-se que a rainha tenha recebido instruções de Nicot para a preparação de um remédio simples para uma dor de cabeça, que seria produzido pelo esmagamento das folhas de tabaco, o qual gera um pó que poderia ser inalado através do nariz.

O remédio de Nicot, que se mostrou satisfatório, logo se tornou popular entre os membros da corte francesa, que usaram pó de tabaco para evitar várias doenças. Neste papel preventivo, o tabaco se tornou uns dos prazeres da nobreza, e é provável que muitos usuários tenham desenvolvido vícios a ele.

Posteriormente em 1753, o naturalista sueco Carolus Linnaeus nomeou o gênero de cultivo de tabaco de “Nicotiana”, em reconhecimento ao papel de Nicot na popularização da planta. Além disso, o nome de Nicot também foi imortalizado no termo “Nicotina”, que foi o nome dado ao composto ativo do tabaco, o qual foi isolado pela primeira vez a partir das folhas da planta em 1828.

Tabaco no Brasil


As primeiras plantações de tabaco foram feitas pelos próprios colonos, para garantirem o consumo próprio, mas depois de algum tempo, eles começaram a observar que a procura na Europa por tabaco era grande, pois começou a aparecer muita gente disposta a comprar o tabaco excedente.

Inicialmente, a produção de tabaco no Brasil ocupava áreas pequenas em Salvador e Recife, no Recôncavo Baiano. Depois de ter expulsado os holandeses em 1654, as primeiras legislações regulamentadoras foram criadas para organizar a produção, e em 1674, Portugal criou a Junta de Administração do Tabaco, que estabelecia regras referentes ao tabaco para todas as suas colônias, e com isso, eles conseguiram garantir os seus lucros.

Em 1° de abril de 1751, foi criada a Mesa da Inspeção do Açúcar e Tabaco, para regular o comércio a partir do controle das cargas transportadas devido às vastas extensões do território e à diversidade de áreas produtivas. A Mesa da Inspeção do Açúcar e Tabaco foi um órgão que vigorou até depois da Independência do Brasil.

Após a declaração da independência, as lavouras de fumo tiveram um grande impulso, pois se tornou possível cultivar qualquer espécie de tabaco, em qualquer lugar. Além disso, a possibilidade de comércio direto com países estrangeiros representou um grande incentivo ao plantio de tabaco. A produção de tabaco no Brasil começou a crescer efetivamente a partir de 1850, onde as províncias de Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul se destacaram.

plantação souza cruz meados século XX
Plantação da Souza Cruz em meados do século XX
Em 1917, a empresa Brazilian Tobacco Corporation foi instalada na cidade de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul. Depois de alguns anos, a cidade se transformou em um pólo nacional da indústria fumageira. Já em 1920, a empresa passou a se chamar Companhia Brasileira de Fumo em Folha e em 1955 a empresa foi adquirida pela empresa Souza Cruz.

logo souza cruz
Logo da Souza Cruz

Modernização na produção de cigarros


Antes da modernização na produção de cigarros, eles eram embalados pelo fumante ou pelos trabalhadores da tabacaria, que enrolavam o tabaco no papel e montavam os cigarros manualmente. Baron Joseph Huppmann foi uma figura fundamental na modernização da produção precoce do cigarro. Ele montou uma fábrica de cigarros Ferme em São Petersburgo, na Rússia, em 1850, e abriu uma filial em Dresden, na Alemanha, em 1872.

Dez anos depois, ele montou a Monopal Cigarette Works em Nova York. Na década de 1850, o inglês Robert Peacock Gloag fabricou cigarros com tabaco turco e papel de seda amarelo. O método utilizado por Gloag era um tubo de metal fino que alimentava um cilindro de papel com tabaco picado, formando um cigarro.

Em 1880, cerca de 58% dos usuários de tabaco preferiam mascar o fumo e destes, apenas 1% preferiam fumar os cigarros, sendo que a situação começou a mudar em 1881, quando o americano James Bonsack inventou a máquina de enrolar o tabaco no papel, que fez grande sucesso na época. Depois disso, a máquina de Bonsack foi aprimorada por outros inventores aos passar dos tempos, até chegar aos padrões de cigarro que conhecemos hoje.

O processo de fabricação do Cigarro


O cigarro é um produto composto pelos seguintes ingredientes básicos: papel, filtro, açúcares e mistura de fumos, onde o composto principal é o tabaco, que contém naturalmente a nicotina, e apesar dos processos de produção dos cigarros parecerem iguais, eles apresentam algumas diferenças, que variam de acordo com as preferências dos consumidores.

Matéria Prima do cigarro


O componente mais importante dos cigarros é o tabaco, onde duas variedades se destacam para produção comercial de cigarros: Nicotiana tabacum e Nicotiana rustica. A planta do tabaco cresce bem em solos leves e arenosos, onde a água escoa bem e há uma boa aeração.


plantação tabaco
Plantação de Tabaco
Os papéis usados para enrolar os cigarros são feitos geralmente com semente de linho misturadas com uma pasta de papel, para produzir um papel fino e inflamável. Já os filtros são feitos de fibras sintéticas de algodão, para poder apanhar as partículas do fumo à medida que são atraídos por todo o comprimento do cigarro. As carteiras de cigarro são feitas de um papel cartão que pode ser duro ou mole e a embalagem é composta por uma fina película de polipropileno (ou papel celofane), que serve para proteger a carteira de cigarros.

Crescimento do Tabaco


O tabaco é cultivado inicialmente em canteiros ao ar livre. Em regiões quentes, esses canteiros são cobertos com palha ou uma folha superior de algodão; em regiões mais frias, a plantação é coberta com uma com instalação de vidro ou plástico, para proteger as plantas. Após 8-10 semanas, quando as mudas têm por volta de 25 cm de altura, elas são transplantadas para um campo.

Embora o tabaco possa ser transplantado por máquinas, em nível mundial, a grande maioria ainda é plantada manualmente. Com o crescimento do tabaco, a cabeça das plantas de tabaco é quebrada manualmente, para que a possa crescer por completo, sendo esse processo chamado de Topping (em português, cobertura). Após isso, as plantas ficam um período de 90-120 dias no campo antes de serem colhidas.

Colhendo o tabaco


As plantas de tabaco podem ser colhidas de duas maneiras, por escorvamento ou por corte de caule. No método de escorva, as folhas são recolhidas e levadas a um pré-processo de cura à medida que amadurecem. No método de corte de caule, a planta inteira é cortada e é deixada no campo para murchar, antes de ser levada para os galpões de cura.

colheita tabaco
Colheita do tabaco

Cura da Folha


Na etapa de cura, as folhas são colocadas em um galpão especial, onde podem ser secadas gradualmente, por três formas: pelo ar de cura, pelo fogo de cura ou pela combustão de cura; sendo que nessa última, as folhas de tabaco alem de perderem água e mudarem de cor, elas também sofrem uma série de transformações bioquímicas, que definirão o sabor específico do cigarro que será produzido.

tabaco curado
tabaco curado

Ar de Cura


O ar de cura se encontra nas condições atmosféricas naturais para secar tabaco. Os caules de tabaco são pendurados em um galpão com ventiladores que podem ser abertos e fechados para controle da temperatura e da umidade. O calor artificial é usado apenas durante o tempo frio ou quando clima está excessivamente úmido, sendo que os caules ficam pendurados durante um período de quatro a oito semanas.

Cura por combustão


A Cura por combustão é feita em pequenos galpões, bem construídos, que são aquecidos artificialmente pelo calor que vem de condutos (tubos de metal) ligados aos fornos, sendo que às vezes, os queimadores a gás ou a óleos derivados do petróleo são usados. No entanto, esse método é problemático, pois a fumaça pode não entrar em contato direto com o tabaco. Esse processo de secagem leva de 4 a 6 dias para ser concluído.

Cura por fogo


O processo de secagem pelo fogo de cura é feito com uma pequena queima de madeira, cuja fumaça entra em contato direto com as folhas, produzindo assim um sabor defumado e aroma ao fumo. Nesse processo de secagem, o tabaco é deixado antes para secar naturalmente no galpão por um período de 3 a 5 dias, e depois é colocado para secar no fogo de cura por um período de 3 a 40 dias.

Umedecimento e extração


A menos que as condições climáticas úmidas eliminem a fragilidade do tabaco, as folhas curadas devem ser acondicionadas em câmaras, em que serão umedecidas, para não se partirem quando forem manipuladas. Depois de umedecidas, as folhas de tabaco são removidas do caule. Durante este processo, as folhas são pulverizadas com a umidade adicional como uma precaução contra a fratura ou quebra.

Classificação e transporte para as fábricas de cigarro


Depois do umedecimento e extração das folhas, elas são classificadas com base em tamanho, cor e qualidade, e depois amarradas em pacotes para serem transportas para as fábricas de cigarro.

esteira com tabaco
esteira com tabaco

Envelhecimento,classificação e mistura do tabaco


Depois de o tabaco chegar à fábrica de cigarros, os fabricantes tratam e envelhecem o tabaco para melhorar o seu sabor, sendo que para fazer isso, eles fazem uma re-secagem completa nas folhas através de ar e, em seguida, adicionam uma quantidade uniforme de umidade. Após essa etapa, eles classificam e acondicionam o tabaco em tambores chamados barricas, onde o tabaco é então envelhecido durante o período de um a três anos, para desenvolver o sabor e o aroma.

barris de envelhecimento tabaco
Barris de envelhecimento de tabaco
Depois disso, as folhas de tabaco são novamente umedecidas e os caules e outros resíduos são removidos, sendo que dependendo do tipo de cigarro, folhas de diferentes tipos de tabaco podem ser misturadas para dar um sabor particular ao cigarro.

tratamento do tabaco colhido
Tratamento do tabaco colhido

Acondicionamento do cigarro


Após a mistura, as folhas de tabaco são pressionadas em bolos e desfiadas mecanicamente. Depois dessa etapa, essências de sucos de frutas, mentol ou outros aditivos podem ser adicionados para dar um sabor adicional ao cigarro.

cigarro sendo preparado pela máquina
Cigarro sendo preparado pela máquina
Após isso, o tabaco desfiado é disperso ao longo de um rolo contínuo de papel de cigarro, onde uma máquina de rolos corta o tabaco picado em um comprimento desejável, e em seguida, um dispositivo agarra cada cigarro e prende um filtro em uma de suas extremidades, sendo que esse processo em uma máquina moderna produz em média mais de 100 cigarros por segundo. Além disso, essas máquinas modernas possuem sensores eletrônicos, que eliminam automaticamente qualquer cigarro com defeito, por menor que ele seja.

desfiamento acondicionamento tabaco produção cigarros
Desfiamento e acondicionamento do tabaco para a produção de cigarros

Empacotamento do Cigarro


O estágio final da fabricação de cigarros é a embalagem, onde os cigarros prontos são embalados em pacotes com 20 unidades, sendo os pacotes duros e moles colocados em uma caixa de papel cartão, e depois a caixa é selada em papel celofane.

O estágio final da fabricação de cigarros é a embalagem, onde os cigarros prontos são levados por correias transportadoras até uma máquina que acondiciona os cigarros nas caixas. Estas máquinas são capazes de produzir até 500 carteiras por minuto, cada uma com 20 cigarros envolvidos em papel-alumínio, rótulo e selo.

Depois, as caixas entram em uma outra máquina que as envolve em uma fina película de polipropileno (ou papel celofane), que protege e preserva as características sensoriais do produto, durante o período de estocagem, transporte e comercialização.

cigarros prontos
Cigarros prontos
Após essa etapa de empacotamento, as carteiras de cigarros entram em uma máquina que as acondiciona em pacotes, que na maioria das vezes são compostos por 10 carteiras. Depois disso, os pacotes são levados por esteiras até uma última máquina, que os embalam em caixas de papelão, para poderem ser armazenados, transportados e comercializados.

Recado do ministério da saúde


O ministério da saúde adverte que fumar:
  • Causa mau hálito, perda de dentes e câncer de boca;
  • Causa câncer de pulmão;
  • Causa infarto do coração;
  • Causa perda de fôlego para nada;
  • Prejudica o bebê na gravidez;
  • Durante a gestação, pode provocar partos prematuros, além disso, a criança pode nascer com peso abaixo do normal e facilidade de contrair asma;
  • Causa dependência, pois a nicotina é uma droga.
  • Causa impotência sexual em homens
alertas embalagens cigarro
Alguns alertas que constam nas embalagens de cigarro

Referências


Sobre o autor


Pedro Coelho Olá meu nome é Pedro Coelho, eu sou engenheiro químico, engenheiro de segurança do trabalho e Green Belt em Lean Six Sigma. Além disso, também sou técnico em informática, e em parte de minhas horas vagas me dedico a escrever artigos aqui no ENGQUIMICASANTOSSP, para ajudar estudantes de Engenharia Química e outros cursos. Se você acha legal esse projeto, siga-nos através de nossas paginas nas redes sociais e ajude-nos a divulgar essa ideia, compartilhando com seus amigos as nossas postagens.

4 Comentários de "Processo de fabricação do cigarro"

Parabéns pelo artigo.. muito bem detalhado e organizado.

Está disponível em São Paulo?

احتاج ورق كامل ليس مطحون

Hi Wesam

I don’t sell products in this blog. I only wrote this article to talk about the process of the production of cigarette step by step.

Os comentários são sempre bem vindos, pois agregam valor ao artigo. Porém, existem algumas regras na Política de Comentários, que devem ser seguidas para o seu comentário não ser excluído:
- Os comentários devem estar relacionados ao assunto do artigo.
- Jamais faça um comentário com linguagem ofensiva ou de baixo calão, que deprecie o artigo exposto ou que ofenda o autor ou algum leitor do blog.
- Não coloque links de sites ou blogs no corpo do texto do comentário. Para isso, assine com seu Nome/URL ou OpenID.
-Não coloque seu email e nem seu telefone no corpo do texto do comentário. Use o nosso formulário de contato.
- Se encontrar algum pequeno erro na postagem, por favor, seja bem declaro no comentário, pois a minha bola de cristal não é muito boa.
- Tem vezes que eu demoro pra responder, mas quase sempre eu respondo.
- Não seja tímido, se você tem alguma duvida ou sabe de algo mais sobre o assunto abordado no artigo, comente e compartilhe conosco :)

Back To Top