-->

Ácido Ascórbico – A Popular Vitamina C

   O ácido ascórbico, popularmente conhecido como Vitamina C, é uma vitamina que não é sintetizada pelo corpo humano, sendo necessário consumi-la através de alimentos ou suplementos. É hidrossolúvel, encontrado em frutas cítricas, morango, tomate, pimentão, brócolis, couve-flor, batatas, goiaba, alface, entre outros. (PAULLING, 1988).

laranja fonte natural vitamina c

      A falta de ácido ascórbico por tempo prolongado provoca uma doença denominada escorbuto, que causa sangramento nas gengivas, consequente perda de dentes, difícil cicatrização, dor nas articulações, queda de cabelo, cansaço, palidez e se não tratada, a morte. A doença acometia marinheiros do século XVIII, pois os alimentos ricos em ácido ascórbico estragavam rapidamente e não eram consumidos (PAULLING, 1988).

      No século XVI era muito comum o aparecimento do escorbuto entre os navegadores, uma vez que os marinheiros ficavam durante um longo período a deriva sem ingerir alimentos frescos que continham o ácido ascórbico. Entre os fatos históricos, pode-se citar os trechos da obra clássica “Os Lusíadas” de Luiz de Camões, onde há indícios de referências acerca da doença de escorbuto que acometiam os tripulantes. 

      O estudo aprofundado sobre a doença, relacionando a ausência da vitamina, foi apenas iniciado no século XVIII por um médico da esquadra naval britânica, James Lind. Suas pesquisas embasadas em dietas diferentes, sendo intercaladas entre alimentação com frutas ricas em ácido ascórbico e a outra sem, foram realizadas com pessoas em grupos distintos originando diferentes tipos de sintomas nos indivíduos. Os dados obtidos foram analisados e resultaram em seu famoso livro: “Treatise of the Scurvy”, que explica sobre os efeitos de doenças causadas pela ausência de vitamina. 

   Não existem muitas informações sobre o consumo em excesso do ácido ascórbico. Alguns profissionais como JOHNSTON (1999) defendem que é possível a formação de cálculos renais.

   O ácido ascórbico em excesso pode vir a ser laxativo. Este componente tem como funções principais a síntese de colágeno, que auxilia na cicatrização e firmeza do tecido conjuntivo, aumento na resistência às infecções, formação de dentes, absorção de ferro, e manutenção dos vasos sanguíneos. Por ser antioxidante, reforça o sistema imunológico, dificultando a incidência de câncer. (VANNUCCHI, 2012)

    Foi em 1912 que Casimir Fiuk usou pela primeira vez o termo vitamina, nome composto, sendo derivado de duas palavras: “vita” do vocabulário latino vida, e “amina” da função de compostos orgânicos (amina da vida). Naquele período acreditava que as vitaminas eram aminas, através de pesquisas ele constatou que algumas doenças se originavam por falta destas. As vitaminas estão presentes nos alimentos que são ingeridos numa dieta alimentar que contenham frutas, legumes e vegetais, assim como em alguns alimentos processados industrialmente e são necessárias para que se mantenham as atividades vitais essências aos seres vivos.

   Cada tipo de vitamina possui uma estrutura química (diferenciando de acordo com as funções orgânicas) e exercem um papel biológico de acordo com sua característica. (OLSON, 1994). Entre as características que podem ser associadas às vitaminas têm-se como um cofator de enzima; um antioxidante ou hormônio. As vitaminas podem ser chamadas de micronutrientes, pois a quantidade necessária desses compostos no organismo é pequena. E mesmo a proporção sendo baixa, a ausência das mesmas é prejudicial à saúde. (CONN & STUMPF, 1980 e LEHNINGER, 1995) 

    Usualmente as vitaminas são divididas em dois grupos, sendo qualificadas como lipossolúveis, ou seja, que se solubilizam em lipídeos e em compostos orgânicos apolares; ou hidrossolúveis, que se solubilizam em meio aquoso ou em compostos polares, que se solubilizam em gordura. O ácido ascórbico é uma molécula que se solubiliza em meio aquoso e tem como composição molecular o grupo carboxílico. É uma vitamina que não é sintetizada pelos seres humanos, primatas, alguns roedores e pássaros sendo necessária sua ingestão através de uma dieta alimentar que contenha tal composto.

A figura 1 representa a molécula estrutural do ácido ascórbico.

molecula estrutural acido ascorbico
Figura 1: Molécula estrutural do ácido ascórbico


     A vitamina encontra-se em sua maioria na sua forma ionizada, o ascorbato. No organismo humano, o ascorbato tem como principal função efetuar a desidratação de resíduos de proteína no colágeno. Em plantas, encontra-se em concentrações relativamente elevadas (2 a 25 mm) e atua na desintoxicação do peróxido de hidrogênio

      A necessidade diária de ácido ascórbico é estimada entre 25mg a 30mg por 1000 kcal, por meio de alimentos de origem vegetal, tendo as doses diárias recomendadas de acordo com a idade, sexo, grupo de risco e com os critérios de cada país. (FAO/OMS, 1998). Como pode ser acompanhado na tabela 1. 

Tabela 1 – Ingestão recomentada de ácido ascórbico (mg/dia). (VANNUCCHI,2011)

ingestao recomentada de acido ascorbico
Legenda: Estágio de vida representa a população dividida por faixa etária em meses (m) e anos; NAS/USDA: National Academyof Science, United States Department of Agriculture; FAO/OMS:Food and Agriculture Organization of United Nations, Organização Mundial da Saúde; Codex:Codex Alimentarius Commission; ANVISA: Agência Nacional de Vigilância Sanitária. 
     O ácido ascórbico é presente em várias frutas e vegetais, em várias quantidades, como descrito na Tabela 2.

Tabela 2 – Alimentos com teor de ácido ascórbico acima de 50 mg/100 g
alimentos com teor de acido ascorbico

   Além de sua funcionalidade nutricional, o ácido ascórbico é bastante utilizado na indústria alimentícia, para conservação de alimentos. A procura por antioxidantes naturais, tem se tornado grande, devido ao interesse de obter maior segurança quando se trata de aditivos alimentares. A utilização do ácido ascórbico como antioxidante, se deve ao fato da facilidade de oxidação pelo ar, protegendo outras espécies químicas da oxidação. 

     O ácido ascórbico em uma solução aquosa, quando submetido a uma rotação, aumenta seu contato com o oxigênio e sua oxidação se eleva por um tempo menor em relação a uma solução sem agitação. 

    A oxidação do ácido ascórbico é resultante da adição de um átomo de oxigênio ou a remoção de um átomo de hidrogênio das moléculas, mas existem fatores que influenciam em sua degradação, tais como: luminosidade, temperatura e pressão. Após sua oxidação, este perde suas funções. 

   A oxidação do ácido ascórbico pode ser aeróbica ou anaeróbica, ambas possibilitando a formação de furaldeídos, que são compostos que polimerizam facilmente, ocasionando a formação de pigmentos escuros. (ARAÚJO, 1999) Também podem ser destruídas pela luz e calor. 

  O ácido ascórbico pode ser alterado durante processamentos industriais. Outros fatores que ocasionam a oxidação são a oxigenação ou até embalagens. A oxidação do ácido ascórbico devido à oxigenação foi até o momento pouco estudada. 

   Quando o ácido ascórbico sofre oxidação, ele se torna o ácido dehidroascórbico, conforme apresenta a Figura 2:

oxidação acido ascorbico acido dehidroascorbico
Figura 2 – Oxidação de Ácido Ascórbico em Ácido Dehidroascórbico.
     De olho no mercado consumidor de vitaminas as indústrias investiram fortemente em propagandas milionárias propagando a ideia de que a ingestão de ácido ascórbico previne e/ou trata gripes e resfriados. Com tal tipo de marketing o mercado farmacêutico mundial gerou um lucro de nada mais, nada menos que U$ 68 bilhões anuais. (Trier Sistemas)

     Atualmente no Brasil as indústrias farmacêuticas comercializam cerca de 25 milhões de unidades (capsulas) de remédio anualmente, sendo 14 milhões somente de ácido ascórbico. Essa venda desenfreada se dá devido à falta de informação da população acerca dos reais benefícios (ou não) do ácido ascórbico sobre gripes e resfriados e pela não necessidade de receitas médicas para compra dos mesmos. (Unifesp)


Referências Bibliográficas

  1. VANNUCCHI, H. & ROCHA, M. M. Ácido ascórbico (Vitamina C)– São Paulo: ILSI Brasil – International Life SciencesIstituteofBrazil,2012; 21 
  2. PENTEADO, Marilene de Vuono Camargo. Vitaminas: aspectos nutricionais, bioquímicos, clínicos e analíticos. Barueri/SP, 2003. p. 205 - 250. Editora Manole. 
  3. VOET, D & VOET, J.G. Biochemistry. New York: John Wiley, 1994.p.256-257. 
  4. www.infoescola.com - acesso em: 15/09/2014 
  5. www.tuasaude.com - acesso em: 18/09/2014 
  6. www.unicamp.br - acesso em: 20/09/2014 
  7. www.mundoeducacao.com - acesso em: 20/09/2014 
  8. www.meuartigo.brasilescola.com - acesso em: 17/09/2014 
  9. www.abcdasaude.com.br - Acesso em 22/09/2014 
  10. www.ial.sp.gov.br – Acesso em 20/10/2014 
  11. www.passeidireto.com – Acesso em 20/10/2014

Autoras Convidadas


Essa postagem foi escrita por Carolina Sobral , Stephanie Telmo e Thabata Guerreiro, que no segundo semestre de 2014 fizeram o seu TCC sobre a Quantificação da oxidação do ácido ascórbico quando submetido à rotação em tanque com impulsor mecânico

Sendo que o TCC teve como objetivo quantificar a oxidação do ácido ascórbico através de agitação em tanque tipo Rushton utilizando-se de impulsor mecânico, com e sem chicanas e a influência da rotação, em uma unidade experimental de bancada.


Sobre o autor


Pedro Coelho Olá meu nome é Pedro Coelho, eu sou engenheiro químico, engenheiro de segurança do trabalho e Green Belt em Lean Six Sigma. Além disso, também sou técnico em informática, e em parte de minhas horas vagas me dedico a escrever artigos aqui no ENGQUIMICASANTOSSP, para ajudar estudantes de Engenharia Química e outros cursos. Se você acha legal esse projeto, siga-nos através de nossas paginas nas redes sociais e ajude-nos a divulgar essa ideia, compartilhando com seus amigos as nossas postagens.

2 Comentários de "Ácido Ascórbico – A Popular Vitamina C"

Ácido Ascórbico não faz parte do grupo dos ácidos carboxilicos.

Ola Yago, você está correto, o ácido ascórbico não se trata de um composto da família dos ácidos carboxilicos. No entanto, se ler com um pouquinho de atenção verá que no texto diz que NA COMPOSIÇÃO DA MOLÉCULA HÁ ÁCIDO CARBOXILICO.
Se quiser dar uma pesquisadinha, essa parte da composiçÃo da molécula se trata das LACTONAS, que por sua vez são de origem do grupo carboxilico.

E se quiser também podemos conversar sobre isso, quanto mais pessoas puderem debater sobre os assuntos e seus conhecimentos, teremos sem dúvidas maior qualidade no que se refere a informação.
Abraços...:)

Os comentários são sempre bem vindos, pois agregam valor ao artigo. Porém, existem algumas regras na Política de Comentários, que devem ser seguidas para o seu comentário não ser excluído:
- Os comentários devem estar relacionados ao assunto do artigo.
- Jamais faça um comentário com linguagem ofensiva ou de baixo calão, que deprecie o artigo exposto ou que ofenda o autor ou algum leitor do blog.
- Não coloque links de sites ou blogs no corpo do texto do comentário. Para isso, assine com seu Nome/URL ou OpenID.
-Não coloque seu email e nem seu telefone no corpo do texto do comentário. Use o nosso formulário de contato.
- Se encontrar algum pequeno erro na postagem, por favor, seja bem declaro no comentário, pois a minha bola de cristal não é muito boa.
- Tem vezes que eu demoro pra responder, mas quase sempre eu respondo.
- Não seja tímido, se você tem alguma duvida ou sabe de algo mais sobre o assunto abordado no artigo, comente e compartilhe conosco :)

Back To Top