Energia Hidrelétrica – A energia das águas

A Energia Hidrelétrica é um tipo de energia renovável, obtida através do aproveitamento do potencial dos rios e seus desníveis. Ela é bem comum no Brasil, sendo uma fonte de energia limpa, pois não tem presença de gases tóxicos, e é barata, pois não há gastos com combustível, que é a própria água do rio.

foto usina hidrelétrica itaipu
Foto da usina hidrelétrica de Itaipu 

Instalação e Funcionamento de uma Hidrelétrica


As usinas são construídas próximas aos rios, cuja movimentação e volume são convertidos em energia potencial e devem ser o suficiente para movimentar turbinas geradoras de energia mecânica. As turbinas, que lembram grandes cataventos, logo, são ligadas em geradores, que transformam a energia mecânica em elétrica, e essa carga é transportada por fios, chegando ao consumidor.

A hidrelétrica pode ser instalada em rios de pequeno ou grande porte, e dependendo do volume do rio, necessita-se, ou não, de um pequeno reservatório apenas para regularizar o fluxo da água a fim de ter um bom funcionamento das turbinas. Quanto aos custos de uma usina, somente a instalação e a manutenção da usina tem relevância, já que o combustível é à força das águas dos rios que é renovável, logo, seu preço é nulo.

Abaixo, mostramos em uma ilustração, como funciona esse tipo de usina.
esquema ilustrado funcionamento hidreletrica
Esquema ilustrado do funcionamento de uma Hidrelétrica 
As hidrelétricas são responsáveis por cerca de 95% de toda geração de energia elétrica do Brasil, sendo os outros 5% representados por usinas termelétricas e nucleares. Mundialmente, o Brasil é o terceiro maior usuário de energia hidrelétrica, perdendo apenas para a China e a Rússia.

Voltando às usinas brasileiras, podemos classificá-las por tamanho e capacidade em Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) e Grandes Centrais Hidrelétricas (GCH).


PCH – Pequena Central Hidrelétrica


É uma usina hidrelétrica com capacidade entre 1 a 30 MW, e área de reservatório inferior a 3 km², sendo esse o critério para uma usina de pequeno porte.

Essas PCHs causam menos dano ao meio ambiente do que as GCHs, entretanto, se em um mesmo rio temos várias PCHs, supridas de reservatórios ou não, e ainda, o ambiente tiver densa flora e fauna e for aproveitado para agricultura, o dano pode ser igual ou até superior às de grande porte.

pch retiro velho apore go localizado rio prata
PCH Retiro Velho, em Aporé (GO), localizado no Rio da Prata
Na construção das PCHs, deve-se tomar cuidado com as barragens. Pois, essas barragens podem atrapalhar a migração e procriação de peixes, influenciar o curso e nível dos rios, causando inundações, e até a qualidade da água do rio pode ser prejudicada, além de também pode causar problemas erosivos e sedimentações. 

Apesar de as PCHs terem um melhor controle de danos, o custo de geração da energia pode acabar sendo maior do que a GCH, pois com uma vazão de água baixa, pode gerar ociosidade; com a vazão alta, há possibilidade de a água passar pelo vertedor; logo, o controle da PCH deve ser operado de modo rigoroso.


funcionamento pequena central hidrelétrica
Exemplo ilustrado do funcionamento de uma Pequena Central Hidrelétrica (PCH), esta é a PCH Cristina, que fica em Cristina (MG), localizada no Rio Lambari.

GCH – Grande Central Hidrelétrica


Também conhecida como Usina Hidrelétrica de Energia (UHE), é uma usina hidrelétrica com capacidade maior que 30 MW, e área de reservatório maior que 3km², sendo esse o critério para uma usina de grande porte.

No caso da GCH, a usina em si é um conjunto de obras e equipamentos (hidráulicos, civis, mecânicos) para um rio de maior volume e extensão, sendo necessária a instalação de um reservatório, que garanti um melhor controle da vazão de água e evita mais danos às obras da usina.

Assim como nas PCHs, as barragens da GCH podem gerar inundações, neste caso em maior escala, causando realocação de populações, comunidades e produções agrícolas, destruição de fauna e flora, entre outros.

usina hidreletrica sao simao go exemplo gch
Usina Hidrelétrica de São Simão (GO), localizada no rio Paranaíba. Exemplo de GCH.

Vantagens e Desvantagens das Hidrelétricas


Por mais que uma usina hidrelétrica seja uma das fontes mais comuns de energia no Brasil ou no mundo, deve-se entender os prós e contras do seu uso.

Entre as vantagens, podemos destacar:
  • Não há custo quanto ao combustível (água do rio);
  • Fonte limpa e renovável, não emite poluentes nem substâncias tóxicas, garantindo sua contribuição na luta contra o aquecimento global e o efeito estufa;
  • Para um país com abundante quantidade de rios, é bem vantajosa e sustentável;
  • Há coleta de água da chuva, para ser usada na agricultura e consumo próprio, através de reservatórios abertos;
  • Dá suporte para outras fontes, como a solar e a eólica;
  • Há uma boa relação custo/benefício, confiabilidade e eficiência.
Quanto às desvantagens, considera-se:
  • Destruição da fauna e flora local, além da vegetação natural; 
  • Acúmulo de sedimentos e detritos em leitos dos rios;
  • Desmoronamento de barreiras;
  • Extinção de espécies de peixes;
  • O ambiente pode se tornar propício a transmissão de doenças, como esquistossomose e malária.
  • Deslocamento de população ribeirinha e indígena;
  • Processo de transmissão de energia pode sair caro;
  • Em caso de seca, terá que depender de outras fontes, como termelétrica e solar.

Brasil e a Energia das Marés


Com aproximadamente 95% de energia gerada apenas por hidrelétricas, o Brasil possui várias unidades em todo o país. A grande quantidade dá-se pelos vários rios existentes, e essa fonte continua sendo fortemente investida no Brasil.

mapa usinas estações hidrelétricas brasil
Mapa de Usinas e Estações Hidrelétricas do Brasil
Em 1889, ocorreu a primeira exploração de energia hidráulica no Brasil. Em Minas Gerais, foi instalada a Usina Marmelos no rio Paraibuna. Logo depois, em 1911, São Paulo teve sua primeira usina, Parnaíba, instalada no rio Tietê. Desde então, várias usinas foram instaladas por todo o país, primeiramente pelo grupo estrangeiro Light, e depois pela Amforp (American & Foreign Power Company), já em 1927.

A partir da década de 30, o governo brasileiro passou a tomar conta do processo de concentração do setor elétrico, concessões e autorizações sobre as instalações e os aproveitamentos hidrelétricos, incorporando ao Patrimônio da União todas as fontes de energia hidráulica. O controle ficou nas mãos da Eletrobrás em 1964, e em 1979 as ações da Light foram adquiridas à Brascan Limited. Assim todas as usinas eram consideradas nacionais.

usina binacional itaipu vista noite.
Usina Binacional de Itaipu vista a noite.
Atualmente são mais de 1200 usinas hidrelétricas, entre elas PCHs e GCHs, com quase 95000 MW em potência ativa.

O órgão regulamentador do setor elétrico no Brasil é a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), vinculada ao Ministério de Minas e Energia, com as funções de fiscalização, transmissão, distribuição e comercialização de energia elétrica, e controle das taxas cobradas aos consumidores, entre outras funções.

As usinas mais conhecidas no Brasil são:
  • Usina Binacional de Itaipu (Parceria Brasil-Paraguai), que está localizada no Rio Paraná, na fronteira do Brasil com o Paraguai. Suporta 7000 MW, apenas na parte brasileira.
  • Usina de Tucuruí, localizada no rio Tocantins, município de Tucuruí (PA). Suporta 8360 MW.
  • Usina de Ilha Solteira, localizada no rio Paraná, município de Ilha Solteira (SP). Suporta 3450 MW.
  • Usina de Xingó, localizada no rio São Francisco, entre o Alagoas e o Sergipe. Suporta 3160 MW.
  • Usina de Paulo Afonso, localizada no rio São Francisco, município de Paulo Afonso (BA). Suporta 3980 MW.
  • Usina de Jirau, localizada no rio Madeira, município de Porto Velho (RO). Suporta 3750 MW.

Autora Convidada


Este texto foi feito pela engenheira química Thabata Guerreiro, que além de acompanhar o Engquimicasantossp, também revisa os posts. Ela em partes de suas horas vagas atua como blogueira no blog Berylsama, que é um blog sobre cosplay, arte e design, e lá você encontrará photoshoots, desenhos autorais, e muitas curiosidades.

Referências



Sobre o autor


Pedro Coelho Olá meu nome é Pedro Coelho, eu sou engenheiro químico, engenheiro de segurança do trabalho e Green Belt em Lean Six Sigma. Além disso, também sou técnico em informática, e em parte de minhas horas vagas me dedico a escrever artigos aqui no ENGQUIMICASANTOSSP, para ajudar estudantes de Engenharia Química e outros cursos. Se você acha legal esse projeto, siga-nos através de nossas paginas nas redes sociais e ajude-nos a divulgar essa ideia, compartilhando com seus amigos as nossas postagens.

3 Comentários de "Energia Hidrelétrica – A energia das águas"

OLÁ PARA UTILIZAR ESTÁ CITAÇÃO DESTE TEXTO, A QUEM DEVO A AUTORIA? SITE , COELHO OU GUERREIRO?
QUANDO FOI PUBLICADA, AGUARDO RETORNO.

Olá Anônimo

Você deve usar guerreiro, pois o texto foi escrito pela Thabata.

Um forte abraço e boa sorte no trabalho =)

o texto foi publicado em 02/01/2016

Os comentários são sempre bem vindos, pois agregam valor ao artigo. Porém, existem algumas regras na Política de Comentários, que devem ser seguidas para o seu comentário não ser excluído:
- Os comentários devem estar relacionados ao assunto do artigo.
- Jamais faça um comentário com linguagem ofensiva ou de baixo calão, que deprecie o artigo exposto ou que ofenda o autor ou algum leitor do blog.
- Não coloque links de sites ou blogs no corpo do texto do comentário. Para isso, assine com seu Nome/URL ou OpenID.
-Não coloque seu email e nem seu telefone no corpo do texto do comentário. Use o nosso formulário de contato.
- Se encontrar algum pequeno erro na postagem, por favor, seja bem declaro no comentário, pois a minha bola de cristal não é muito boa.
- Não seja tímido, se você tem alguma duvida ou sabe de algo mais sobre o assunto abordado no artigo, comente e compartilhe conosco :)

Back To Top