-->

Vetores: Soma e Subtração

Os vetores são um conjunto de seguimentos orientados que possuem a mesma direção, o mesmo sentido e o mesmo comprimento. Eles são geralmente representados por uma seta, cuja direção é a mesma que a da quantidade, e cujo comprimento é proporcional à magnitude da quantidade.

Embora os vetores possuam uma magnitude e direção, ele não tem posição. Isto é, desde que o seu comprimento não seja alterado, um vetor não é alterado caso é deslocado paralelamente a si.

Vetores

Introdução a Vetores


Os vetores apareceram no final do século 19, quando o americano Josiah Willard Gibbs e o inglês Oliver Heaviside desenvolveram independentemente a análise de vetores para expressar as novas leis do eletromagnetismo, que foram descobertas pelo físico escocês James Clerk Maxwell. Desde aquela época, os vetores se tornaram essenciais na física, mecânica, engenharia e em outras ciências para descrever forças matematicamente.

josiah willard gibbs e oliver heaviside
Josiah Willard Gibbs e Oliver Heaviside
Sendo usados por muitas grandezas que ocorrem e requerem especificar uma orientação, por exemplo: velocidade (num certo sentido), força, momento, deslocamento (movimento num certo sentido), pois em distinção das quantidades escalares, elas não requerem apenas a especificação da grandeza.

É claro que, a menos que todos os vetores que estamos considerando estejam em um plano, não poderemos representá-los por números complexos (ou pares ordenados), pois as representações de números complexos são de caráter estritamente bidimensional.

Portanto precisamos estender nossas representações, ao passo que compreendamos a ideia de que um vetor é um comprimento orientado.

Assim como na álgebra em que aprendemos a somar e subtrair grandezas escalares, nós precisamos aprender a manipular as grandezas vetoriais e passaremos pelas regras de adição e subtração, para criar uma álgebra de vetores.

Representação de uma grandeza vetorial


Nós podemos representar uma quantidade vetorial F graficamente em grandeza ou módulo, e orientação por uma linha OP:

linha op
O módulo do Vetor é representado pelo comprimento da linha OP (usando uma escala conveniente) e sua orientação no espaço é indicada por uma seta sobre a linha. A partir de vários tipos de notações em livros para descrever este vetor, podemos nomeá-lo nos seguintes modos:

$F=\overline{OP}~~ou~~\overrightarrow{OP}$

e para seu módulo poderíamos ter:

$F=\left| F \right|=\left| \overrightarrow{OP} \right|=OP$

É óbvio, de nossa definição que se multiplicarmos um vetor por algum escalar λ , então o que estamos fazendo é multiplicar o comprimento do vetor por λ: não estamos alterando sua orientação.

Por exemplo, se F é o segmento orientado $\overrightarrow{OP}$ :
linha op

Então 3F seria o vetor $\overrightarrow{OR}$.

vetor or


Igualdade de 2 vetores


Se 2 vetores são paralelos, apontando para o mesmo sentido, e de mesmo comprimento , dizemos que eles são iguais.

Seja $F=\overrightarrow{OP}=\overrightarrow{QR}$

vetores paralelos

Os pontos de aplicação O e Q não precisam ser os mesmos, aqui. Por exemplo, é comum dizer que um avião está voando para leste a 250 Km/h sem especificar sua localização espacial. Um vetor em que o ponto de aplicação não precisa ser especificado é chamado de Vetor Livre.

Se temos dois vetores F e F1, que são paralelos e de mesmo comprimento, mas de sentidos opostos, chamamos o segundo vetor -F, pois vale (-1). F é então F1 = -F.


Vetor Unitário (Versor)


É um vetor unitário que tem a mesma direção e o mesmo sentido que o vetor, mas mede um.

Exemplo de versor:

$\overrightarrow{OG}=\left( 2,6,3 \right)$

$\left| \overrightarrow{OG} \right|=\sqrt{{{\left( 2 \right)}^{2}}+{{\left( 6 \right)}^{2}}+{{\left( 3 \right)}^{3}}}=7$

$\frac{\overrightarrow{OG}}{\left| \overrightarrow{OG} \right|}=\frac{\left( 2,6,3 \right)}{7}=\sqrt{\frac{{{\left( 2 \right)}^{2}}+{{\left( 6 \right)}^{2}}+{{\left( 3 \right)}^{3}}}{{{7}^{2}}}}=1$

Soma e Subtração de Vetores


Para entender a soma e a subtração de vetores, vamos conservar a lei do paralelogramo, para soma. Se pretendermos achar E+F, traçamos E e F com o mesmo ponto de aplicação e completamos o paralelogramo. A diagonal deste paralelogramo é então E + F (figura a). Logo, chamamos E+F de resultante.

Também é óbvio que F + E deve ser a mesma resultante, de modo que E + F = F+ E (a soma vetorial é, portanto, comutativa).

soma subtraçao vetorial

Uma forma alternativa desta é a lei triangular da adição, que vem a ser de fato, a metade do paralelogramo acima. Aqui ,traçamos primeiro o vetor E.

No extremo de E colocamos o vetor F. Unindo-se o ponto de aplicação de E, e o extremo de F se tem o vetor E + F (repare no sentido das setas, pois isso é importante). (Figura b)

Segue-se imediatamente, a subtração, pois podemos interpretar E - F como significando E+(-F) conforme resultado na (figura c) (reparando novamente no sentido das setas).

Também se quisermos, podemos estender a adição para mais de 2 vetores e construir um polígono, unindo os vetores sucessivamente por seus extremos. Por exemplo, com vetores A,B,C (que não necessitam estar em um mesmo plano), a soma de A+B+C é representada pelo lado de fechamento do polígono, que é mostrada na figura 1, no esquema abaixo.

A ordem da adição não é importante, e podemos facilmente ver nas figuras 2,3 e 4 que:

$\left( A+B \right)+C=A+\left( B+C \right)=\left( A+C \right)+B$

(combinando as leis associativa e comutativa)
adição de vetores
Analogamente, é fácil mostrar que λ (A+B) = λA+ λB e (λ+μ)A= λA+ μA para escalares λ e μ.

Logo, a adição e a subtração vetorial obedecem todas as leis da álgebra normal dos números reais (ou complexos) e podemos tratar as equações vetoriais lineares exatamente da mesma forma que a álgebra dos números reais. Por exemplo, se A+B=C, então A=C-B.

Definimos ainda um vetor nulo 0, como um vetor que não tem orientação, e de comprimento zero, de modo que podemos indicar com a equação acima de exemplo: se A+B=C ,então A+B-C = 0, também : A + 0 = 0 + A = A

Exemplos de soma e subtração


1) Dada $\overrightarrow{U}$+$\overrightarrow{V}$, sendo U = 5 e V= 3 de mesma direção e sentido opostos ache a resultante $\overrightarrow{R}$


vetores-u-e-v
Resolução:

$\overrightarrow{R}=\overrightarrow{U}+\overrightarrow{V}\Rightarrow $

$\overrightarrow{R}=5+\left( -3 \right)=2$

Observação: Como o vetor V esta em sentido oposto ao de U. O vetor leva o sinal de menos (-).

2) Dada $\overrightarrow{U}$ e $\overrightarrow{V}$ , sendo U = 5 e V= 3 e o ângulo de 40°, encontre0 a resultante $\overrightarrow{R}$ .

esquema do exercicio dois

Resolução:

Montando um paralelogramo de $\overrightarrow{R}$ , notamos que o ângulo oposto a $\overrightarrow{R}$ é 180°- 40° = 140°

esquema do exercicio dois
Logo, aplicando a lei do cosseno

${{R}^{2}}={{U}^{2}}+{{V}^{2}}-2.\left( U \right).\left( V \right).\cos \left( 140 \right)\Rightarrow $

$\Rightarrow {{R}^{2}}=\left( {{5}^{2}} \right)+\left( {{3}^{2}} \right)-2.\left( 5 \right).\left( 3 \right).\cos \left( 140 \right)\Rightarrow $

$\Rightarrow {{R}^{2}}=25+9+23\Rightarrow $

$\Rightarrow R=\sqrt{25+9+23}=\sqrt{57}=7,55$


Observação: Caso você não conheça a lei do cosseno, eu recomendo que dê uma olhada na postagem sobre a lei do cosseno.

3) Dada $\overrightarrow{U}$ e $\overrightarrow{V}$ , sendo U = 5 e V= 3 e o ângulo de 40°, ache a resultante $\overrightarrow{d}$


esquema do exercicio 3

Resolução

Aplicando a lei do cosseno

${{d}^{2}}={{U}^{2}}-{{V}^{2}}-2.\left( U \right).\left( -V \right).\cos \left( 140 \right)\Rightarrow $

$\Rightarrow {{d}^{2}}={{\left( 5 \right)}^{2}}+{{\left( -3 \right)}^{2}}-2.\left( 5 \right).\left( -3 \right).\cos \left( 140 \right)\Rightarrow $

$\Rightarrow {{d}^{2}}=25+9-23\Rightarrow $

$\Rightarrow d=\sqrt{25+9-23}=\sqrt{11}=3,31$


Referências

  • http://global.britannica.com/topic/vector-mathematics (acessado em 05/07/2015 as 15:54)
  • Matemática para Engenharia, A. C. Bajpai , L. R. Mustoe , D. Walker ,São Paulo, Brasil, editora: Hemus,1980.
  • Notas de Geometria Analítica e Álgebra linear, Pedro Coelho, Santos, São Paulo, 2011
  • Notas de aula de Geometria Analítica e Álgebra linear, Sergio R.Lara, Santos, São Paulo, 2010.

Sobre o autor


Pedro Coelho Olá meu nome é Pedro Coelho, eu sou engenheiro químico, engenheiro de segurança do trabalho e Green Belt em Lean Six Sigma. Além disso, também sou técnico em informática, e em parte de minhas horas vagas me dedico a escrever artigos aqui no ENGQUIMICASANTOSSP, para ajudar estudantes de Engenharia Química e outros cursos. Se você acha legal esse projeto, siga-nos através de nossas paginas nas redes sociais e ajude-nos a divulgar essa ideia, compartilhando com seus amigos as nossas postagens.

2 Comentários de "Vetores: Soma e Subtração"

Faltou muitos exemplos praticos..elogio acima de tudo a iniciativa..

Olá Anônimo

Eu estou aberto a sugestões para poder melhorar essa postagem :) , o que você me sugere?

Sendo que se for mais exercícios, eu até posso montar uma postagem só com exercícios resolvidos :)

Os comentários são sempre bem vindos, pois agregam valor ao artigo. Porém, existem algumas regras na Política de Comentários, que devem ser seguidas para o seu comentário não ser excluído:
- Os comentários devem estar relacionados ao assunto do artigo.
- Jamais faça um comentário com linguagem ofensiva ou de baixo calão, que deprecie o artigo exposto ou que ofenda o autor ou algum leitor do blog.
- Não coloque links de sites ou blogs no corpo do texto do comentário. Para isso, assine com seu Nome/URL ou OpenID.
-Não coloque seu email e nem seu telefone no corpo do texto do comentário. Use o nosso formulário de contato.
- Se encontrar algum pequeno erro na postagem, por favor, seja bem declaro no comentário, pois a minha bola de cristal não é muito boa.
- Tem vezes que eu demoro pra responder, mas quase sempre eu respondo.
- Não seja tímido, se você tem alguma duvida ou sabe de algo mais sobre o assunto abordado no artigo, comente e compartilhe conosco :)

Back To Top