Metanfetamina - A droga da série Breaking Bad

A metanfetamina (também conhecida como Meth, Speed, Cristal) é uma droga variante das anfetaminas, que foi muito abordada na famosa série Breaking Bad. Nessa postagem, eu estarei abordando um pouco sobre a história, a química, efeitos e os problemas seríssimos que a metanfetamina causou no passado e vem causando na atualidade.

breaking bad metanfetamina
Série Breaking Bad

História da Metanfetamina


A metanfetamina foi sintetizada pela primeira vez pelo químico e farmacologista japonês Nagai Nagayoshi em 1893, que a obteve a partir da efedrina. Décadas depois, em 1919, o químico e farmacologista japonês Akira Ogata produziu pioneiramente a metanfetamina cristalina, a partir da efedrina usando iodo e fosforo vermelho.

formula quimica metanfetamina
Fórmula química da metanfetamina

Até a década de 30, os efeitos e as propriedades da metanfetamina não eram totalmente conhecidos. No inicio da década de 30, a metanfetamina era usada inicialmente como medicamento para congestão nasal e asma. Depois de um tempo, notou-se também que ela poderia ser usada como estimulante e antidepressivo.

Nessa época, a metanfetamina em forma de cristal era geralmente fumada e a em forma de pó geralmente cheirada, sendo que a mesma também podia ser misturada com água e injetada por via intravenosa, e em alguns casos até ingerida quando diluída.

foto cristal metanfetamina azul incolor
Foto do Cristal de Metanfetamina (Obs: O cristal não é azul como na série)

Metanfetamina na Segunda Guerra Mundial


No início da década de 40, a metanfetamina foi amplamente utilizada durante o período da Segunda Guerra Mundial, para aumentar a resistência e agilidade e evitar a fadiga dos soldados.

O governo japonês deu a substância seus pilotos kamikazes, assim como o governo alemão deu para seus soldados e até Hitler, supostamente recebia injeções de metanfetamina todos os dias. Os exércitos dos aliados deram para soldados e pilotos, mas abandonaram a prática, pois, notaram que os soldados ficavam mais agressivos e violentos ao usarem a metanfetamina.

Após a Segunda Guerra Mundial, o governo japonês e o governo alemão tinham enormes estoques de metanfetamina, que dispensaram comercializando com a população civil.

Pervitin
Na Alemanha, a metanfetamina foi comercializada como Pervitin.
Em vários países da Europa, a metanfetamina era um fármaco controlado que era comercializado livremente, sendo o país que tinha a maior produção de metanfetamina a República Checa. Após alguns anos, a população começou a abusar e a sofrer com o vício em metanfetamina, que foi usada indiscriminadamente pela população.

Abuso e começo da proibição no Mundo


No início da década de 1950, a metanfetamina (assim como outras anfetaminas) era uma droga popularmente usada para se manter acordado, perder peso e melhorar o desempenho atlético.

Apesar de ser uma droga controlada, que precisa de prescrição medica, a metanfetamina e as anfetaminas estavam com seu uso em ascensão entre a população civil, incluindo grupos como estudantes universitários, motoristas de caminhão, atletas, donas de casa e as pessoas que executam trabalhos monótonos.

Em 1959 nos Estados Unidos, o FDA (Food and Drug Administration) proibiu o uso de inaladores à base de anfetaminas em função do seu grande abuso. No entanto, o uso da metanfetamina e das anfetaminas estava sendo promovido como agente terapêutico para problemas de saúde, tais como hiperatividade, obesidade, narcolepsia e depressão.

Na década de 1960, o uso da metanfetamina por injeção intravenosa começou a ganhar popularidade, especialmente entre as pessoas que já utilizavam outras drogas ilícitas, pois, o uso por injeção intravenosa provoca um intenso efeito de euforia.

Na década de 1970, o uso indiscriminado e extremamente abusivo de metanfetamina e anfetaminas começou a ser reconhecido por legisladores, que começaram a criar leis mais restritivas para seu uso e produção. Entre as medidas tomadas, os governos também impuseram controles mais restritivos sobre fenil-2-propanona, um dos precursores químicos para a metanfetamina.

As leis criadas ajudaram muito na redução do número de usuários, punindo também traficantes que produziam a metanfetamina e as anfetaminas ilegalmente. Porém, na década de 1980, os traficantes descobriram outros precursores químicos para a metanfetamina, a efedrina e a pseudoefedrina.

Esses precursores foram os próximos a terem sua venda controlada. Sendo isso algo que não acabou impedindo 100% os traficantes de produzirem a droga, pois, eles acabaram desenvolvendo novas formas de produzir, resultando em uma metanfetamina mais forte do que nunca.

Impactos ambientais e riscos do processo clandestino


Existem diversos métodos para se obter se a metanfetamina, os químicos clandestinos (conhecidos como cozinheiros) empregam geralmente o método da amálgama ou método de Leuckart, usando a fenil-2-propanona e a metilamina como precursor primário, para se produzir a metanfetamina clandestina.
sintese metanfetamina
Síntese da Metanfetamina usando o método de amálgama catalisado por cloreto de mercúrio e folha de alumínio
Esse processo requer uma variedade de ácidos e solventes para a obtenção do produto purificado acabado. O grande problema é que a maior parte desses cozinheiros não possui o conhecimento sobre esses ingredientes e nem a habilidade para efetuar a síntese de forma adequada. Eles por muitas vezes não usam a proporção correta de precursores, reagentes, solventes ou catalisadores na síntese, com isso, ocorre à geração de muitos subprodutos indesejáveis ou contaminantes tóxicos, que por muitas vezes não são eliminados do produto final.

Além disso, a maioria desses cozinheiros trabalha sobre condições precárias em locais com pouca ventilação e fraco controle de temperatura, com isso, ocorrendo um grande risco de incêndio, explosão, intoxicação e contaminação ambiental. Pois, a maioria dos compostos envolvidos no processo é inflamável e, alguns compostos possuem metais pesados em sua composição (dependendo da síntese usada).

Outro problema grave do processo clandestino é o armazenamento e descarte irregular dos resíduos do processo, que não é armazenado e eliminado de acordo com as normas técnicas para resíduos perigosos - classe I, sendo geralmente despejados no solo, na galeria de esgoto comum e até em sistemas de fossa séptica, contaminando águas superficiais, águas subterrâneas e mananciais.


Efeitos do vício em metanfetamina


No cérebro, a metanfetamina aumenta cerca de 12 vezes a produção de dopamina ( que é um neurotransmissor que está envolvido no controle de movimentos, aprendizado, humor, emoções, cognição, sono e memória), provocando um estado prolongado de euforia extremamente intenso, que é cerca de 3 vezes mais intenso que o provocado pela cocaína, podendo tornar o usuário praticamente dependente após o primeiro uso da droga .

O abuso e uso prolongado da metanfetamina provoca diversos males à saúde do usuário. Inicialmente, ela provoca sintomas como transformações no humor do usuário, que com o tempo começa a fica mais agressivo, ansioso e paranoico.

Sendo que um dos males mais marcante é a mudança na aparência física dos usuários da metanfetamina. Pois, a metanfetamina faz com que os vasos sanguíneos se contraiam, cortando o fluxo constante de sangue para todas as partes do corpo, com o tempo, isso faz com que pele comece a perder a capacidade de se regenera, perdendo o brilho e a elasticidade, dificultando a cicatrização de feridas e aumentando o aparecimento de acne.

Outros males marcantes são a queda dos dentes e a destruição dos receptores de dopamina, que com o uso prolongado são seriamente comprometidos, com isso, ocorre à diminuição da produção natural de dopamina pelo cérebro, fazendo com que o usuário entre em uma profunda depressão, aumentando assim o vício e o consumo de droga pelo usuário, que tenta recuperar essa dopamina consumindo mais e mais droga, porém, infelizmente, o usuário acaba caindo em um círculo vicioso que é muito difícil de sair.

Postagem em formato de vídeo



Referências


Sobre o autor


Pedro Coelho Olá meu nome é Pedro Coelho, eu sou engenheiro químico, engenheiro de segurança no trabalho e técnico em informática, e em parte de minhas horas vagas me dedico a escrever artigos aqui no ENGQUIMICASANTOSSP, para ajudar estudantes de Engenharia Química e outros cursos. Se você acha legal esse projeto, siga-nos através de nossas paginas nas redes sociais e ajude-nos a divulgar essa ideia, compartilhando com seus amigos as nossas postagens.

9 Comentários de "Metanfetamina - A droga da série Breaking Bad"

Nossa , achei muito bom este artigo... Sou estudante do 1º semestre de Engenharia Química :D

Ola Bianca

Fico feliz que tenha gostado do artigo =)

Boa Sorte nos estudos

Um abraço

Cara, esse texto me deixou com duas duvidas:

A metanfetamina é azul como na série?
Pq a gente não escuta muito sobre ela no Brasil?

Olá anônimo
Respondendo as suas perguntas:

1- Os cristais de metanfetamina geralmente não possuem uma coloração azul como na série, pois ela possui uma coloração incolor. Além disso, ela é geralmente comercializada ilegalmente com corantes que podem tornar lá branca, amarela e rosa.

2 – A gente não escuta muito sobre ela aqui no Brasil, pois ela é uma droga que possui preço elevado, e fazer ela não é fácil.

Espero ter tirado suas duvidas

Um abraço

O cristal quando cheirado tem o mesmo efeito de quando é fumado ? Como age no corpo desde o consumo até a chegada no cerebro ?

Olá Anônimo

O efeito é mais intenso quando é cheirado ou injetado na veia. Além disso, essa droga atinge o cérebro aumentando a produção de neurotransmissores como endorfina e dopamina, que causam a sensação de bem estar. O ruim que a mesma lesa muito o cérebro, para causar essa sensação

A resposta da segunda pergunta está basicamente na parte onde eu falo um pouco sobre os efeitos do vicio

Espero ter te ajudado :)

Um abraço

Fiquei na dúvida!
Isso envolve quimica orgânica ou inorgânica?

Olá Gabriel

A reação envolve mais química orgânica

segundo a série e eles começam a síntese em larga escala com o ácido fenilacético, passando depois para o P2P, acho estranho utilizar a metilamina na forma líquida, pois na forma cristal MeNH2*HCl seria bem mais pratica.

Os comentários são sempre bem vindos, pois agregam valor ao artigo. Porém, existem algumas regras na Política de Comentários, que devem ser seguidas para o seu comentário não ser excluído:
- Os comentários devem estar relacionados ao assunto do artigo.
- Jamais faça um comentário com linguagem ofensiva ou de baixo calão, que deprecie o artigo exposto ou que ofenda o autor ou algum leitor do blog.
- Não coloque links de sites ou blogs no corpo do texto do comentário. Para isso, assine com seu Nome/URL ou OpenID.
-Não coloque seu email e nem seu telefone no corpo do texto do comentário. Use o nosso formulário de contato.
- Se encontrar algum pequeno erro na postagem, por favor, seja bem declaro no comentário, pois a minha bola de cristal não é muito boa.
- Não seja tímido, se você tem alguma duvida ou sabe de algo mais sobre o assunto abordado no artigo, comente e compartilhe conosco :)

Back To Top