-->

Certificado CADRI: O que é e sua importância na gestão de resíduos

O certificado CADRI (Certificado de Movimentação de Resíduos de Interesse Ambiental) é emitido pela CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) e possui um papel fundamental na gestão adequada de resíduos. Para obter a aprovação do encaminhamento de resíduos para locais licenciados ou autorizados pela CETESB, incluindo testes, é obrigatório possuir o CADRI.

Certificado CADRI: O que é e sua importância na gestão de resíduos para o meio ambiente

Cada grupo de resíduos que será destinado ou tratado em algum local requer a emissão de um CADRI. Mesmo quantidades diferentes de um mesmo resíduo que são direcionadas para destinações distintas exigem a emissão individual do certificado. Esse procedimento pode se aplicar a resíduos que não sejam de interesse quando a instalação de destino exige o documento ou há interesse por parte do responsável ou da Agência Ambiental. A Agência Ambiental responsável pelo atendimento à empresa geradora do resíduo é competente para emitir o CADRI.

logo da cetesb - Companhia Ambiental do Estado de São Paulo

Norma NBR 10004 e os resíduos de interesse ambiental


Os resíduos de interesse ambiental, para os quais o CADRI é obrigatório, são classificados de acordo com a Norma NBR 10004, da ABNT, que é uma norma que trata da classificação de resíduos sólidos. Ela estabelece os critérios e procedimentos para a identificação e classificação de resíduos, com o objetivo de auxiliar na gestão adequada e segura desses materiais.

A norma NBR 10004 define resíduos sólidos como "materiais, substâncias, objetos ou bens descartados resultantes de atividades humanas em sociedade, a cuja destinação se procede ou se propõe proceder, nos estados sólido ou semissólido, bem como gases contidos em recipientes e líquidos cujas particularidades tornem inviável o seu lançamento na rede pública de esgotos ou em corpos d'água, ou exijam para isso soluções técnicas ou economicamente inviáveis em face à melhor tecnologia disponível".

A norma NBR 10004 estabelece os critérios para a classificação dos resíduos em relação às suas características físicas, químicas e biológicas, bem como quanto à periculosidade e ao potencial de risco à saúde humana e ao meio ambiente. Essa classificação é importante para determinar as melhores práticas de gerenciamento e disposição final dos resíduos.

Além disso, a NBR 10004 fornece diretrizes para a elaboração de planos de gerenciamento de resíduos sólidos, que envolvem o manejo, transporte, armazenamento, tratamento, reciclagem e disposição final dos resíduos. Ela também aborda aspectos relacionados à rotulagem, embalagem, identificação e documentação dos resíduos.

Na Norma NBR 10004 são definidas três classes de resíduos sólidos com base em suas características físicas, químicas e biológicas. Essas classes são conhecidas como Classe I, Classe IIA (Não Inertes) e Classe IIB (Inertes). Vamos entender um pouco sobre cada uma delas:

Classe I: Resíduos Perigosos


A Classe I engloba os resíduos perigosos que apresentam características perigosas, como inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade ou patogenicidade. Esses resíduos têm o potencial de causar danos à saúde humana e ao meio ambiente. Exemplos comuns de resíduos Classe I incluem produtos químicos tóxicos, substâncias corrosivas, materiais contaminados com agentes patogênicos, resíduos radioativos, entre outros. Devido ao seu potencial de risco, esses resíduos requerem uma gestão especializada e cuidadosa, com medidas de controle, armazenamento e disposição adequadas.

Residuo perigoso classe I - CADRI - gestão de residuos solidos


Classe IIA (Não Inertes): Resíduos Não Perigosos


A Classe IIA abrange os resíduos não perigosos, ou seja, aqueles que não apresentam características perigosas, mas ainda podem ter impactos negativos ao meio ambiente se não forem gerenciados corretamente. Esses resíduos podem ser biodegradáveis ou não biodegradáveis. Exemplos de resíduos Classe IIA incluem materiais orgânicos, plásticos, papel, vidro, metais não tóxicos, entre outros. Esses resíduos requerem um gerenciamento adequado, incluindo a segregação, a coleta seletiva, o tratamento e a destinação final apropriados, considerando aspectos como reciclagem, compostagem e disposição adequada em aterros sanitários.

Residuo não perigoso classe IIA - CADRI - gestão de residuos solidos

Classe IIB (Inertes): Resíduos Inertes


A Classe IIB inclui os resíduos inertes, ou seja, aqueles que não sofrem transformações físicas, químicas ou biológicas significativas. Esses resíduos são considerados estáveis e não apresentam riscos ao meio ambiente ou à saúde pública. Exemplos de resíduos Classe IIB incluem entulhos de construção civil, solo não contaminado, cerâmicas, concreto, entre outros. A gestão adequada desses resíduos envolve a destinação apropriada em áreas específicas, como aterros de inertes.

Residuo não perigoso classe IIB inerte - CADRI - gestão de residuos solidos

Exemplos de resíduos de interesse ambiental


A seguir, apresentamos alguns exemplos de resíduos de interesse que requerem o CADRI:

  • Resíduo sólido domiciliar coletado pelo serviço público, quando enviado a aterro privado ou para outros municípios.
  • Lodo de sistema de tratamento de efluentes líquidos industriais.
  • Lodo de sistema de tratamento de efluentes líquidos sanitários gerados em fontes de poluição definidos no artigo 57 do Regulamento da Lei Estadual 997/76, aprovado pelo Decreto Estadual 8.468/76 e suas alterações.
  • EPI contaminado e embalagens contendo PCB.
  • Resíduos de curtume não caracterizados como Classe I, pela NBR 10004.
  • Resíduos de indústria de fundição não caracterizados como Classe I, pela NBR 10004.
  • Resíduos de Portos e Aeroportos, exceto os resíduos com características de resíduos domiciliares e os controlados pelo “Departamento da Polícia Federal".
  • Resíduos de Serviços de Saúde, dos Grupos A, B e E, conforme a Resolução CONAMA 358, de 29 de abril de 2005.
  • Efluentes líquidos gerados em fontes de poluição definidos no artigo 57 do Regulamento da Lei Estadual 997/76, aprovado pelo Decreto Estadual 8.468/76 e suas alterações. Excetuam-se os efluentes encaminhados por rede.
  • Lodos de sistema de tratamento de água.

Comentários sobre o CADRI e a classificação de resíduos


É importante ressaltar que a classificação correta dos resíduos é fundamental para a adoção de práticas adequadas de gerenciamento, transporte, armazenamento, tratamento e disposição final. Essas classificações auxiliam na identificação dos riscos associados aos resíduos e na definição das medidas de controle e precaução necessárias para proteger a saúde humana e o meio ambiente.

O ideal é sempre dar uma consultada na Norma NBR 10004 ou qualquer outra norma aplicável para obter informações mais detalhadas e atualizadas sobre a classificação e o gerenciamento de resíduos sólidos.

Também não devemos nos esquecer que as normas técnicas estão sempre sujeitas a revisões e atualizações ao longo do tempo. Portanto, é sempre recomendado consultar a versão mais recente da NBR 10004 ou qualquer outra norma relevante para obter informações atualizadas e precisas.

Além disso, também é importante ressaltar que a Norma NBR 10004 é utilizada no contexto brasileiro e serve como referência para a gestão de resíduos sólidos no país. Ela contribui para a padronização e segurança nas práticas de gerenciamento, auxiliando na redução de impactos ambientais e na promoção da sustentabilidade.

CADRI - Certificado de Movimentação de Resíduos de Interesse Ambienta

O certificado CADRI desempenha um papel importante na gestão de resíduos, garantindo que o transporte e a destinação dos resíduos sejam feitos de acordo com as normas e regulamentações ambientais. Ao obter o CADRI, as empresas asseguram uma abordagem correta e responsável em relação à gestão de seus resíduos de interesse ambiental.

Referências


Sobre o autor


Pedro Coelho Olá meu nome é , eu sou engenheiro químico, engenheiro de segurança do trabalho e Green Belt em Lean Six Sigma. Além disso, também sou estudante de engenharia civil, e em parte de minhas horas vagas me dedico a escrever artigos aqui no ENGQUIMICASANTOSSP, para ajudar estudantes de Engenharia Química e de áreas correlatas. Se você está curtindo essa postagem, siga-nos através de nossas paginas nas redes sociais e compartilhe com seus amigos para eles curtirem também :)

13 Comentários de " Certificado CADRI: O que é e sua importância na gestão de resíduos"

Anônimo
17 de maio de 2021 às 13:46

O que é cadri coletivo?

17 de maio de 2021 às 17:41

Olá anônimo

O CADRI Coletivo é um documento utilizado para destinar resíduos de interesse gerados em pequenas quantidades por diferentes geradores com a mesma tipologia de atividade e/ou por geradores com tipologia de atividade diferentes, mas que geram a mesma tipologia de resíduos e coletados por uma empresa de coleta e transporte de resíduos.

Um bom exemplo disso são os resíduos de posto de combustível, clínica veterinária, clínica odontológica, solo proveniente de perfuração de poços de monitoramento de investigação ambiental.

Esse documento é um certificado que é emitido em nome do responsável pela coleta, transporte e destino final dos resíduos gerados em pequena quantidade. Esse certificado pode conter uma relação de no máximo 50 geradores, independentemente da localização. O prazo de validade desse documento é de 01 (um) ano.

Espero ter ajudado

Um abraço

Anônimo
19 de setembro de 2022 às 10:04

Olá Pedro

Eu também sou de Santos e estou procurando alguma empresa daqui da região, onde eu possa vender meu lixo limpo. Você conhece alguma empresa daqui da região que compre lixo limpo por um bom preço?

19 de setembro de 2022 às 17:05

Olá anônimo

Eu conheço alguns locais aqui em Santos: Litorallimpo, Recimar, e Alquimista Reciclagem. O negócio é você procurar algum ferro velho próximo a sua casa, que com certeza eles irão ter interesse em seu lixo limpo ;)

Espero ter te ajudado

Um abraço

Anônimo
14 de outubro de 2022 às 12:42

Existe alguma maneira sustentável de se aproveitar o pó do café usado? Eu quero sabe se tem como se aproveitar esse pó de café que geralmente a gente descarta no lixo sujo, e isso me preocupa um pouco aqui. Você sabe alguma coisa sobre esse assunto?

15 de outubro de 2022 às 12:27

Olá anônimo

Eu fiz uma pesquisa na internet e vi que que tem pessoas que esfregam esse pó usado nas mãos para deixá-las mais claras e macias. Além disso, o pó usado também pode ajudar a clarear pias brancas e o chão da cozinha.

Esse pó usado pode ser usado para espantar formigas, e também como um bom adubo em vasos de flores e plantas. Também tem algumas pessoas que colocam um copinho com pó de café usado na geladeira para eliminar os maus cheiros.
Espero que esses usos te deem boas ideias

Um abraço

Anônimo
21 de outubro de 2022 às 13:59

Você sabe me dizer se compensa vender o lixo reciclável?

25 de outubro de 2022 às 19:34

Olá anônimo

Compensa sim, pois você ganha uma graninha razoável ajudando o Meio Ambiente :)

Anônimo
12 de junho de 2023 às 07:50

Como é a gestão de resíduos na construção civil?

12 de junho de 2023 às 20:50

Olá anônimo

A gestão de resíduos na construção civil é um aspecto importante para garantir a sustentabilidade e minimizar os impactos ambientais gerados pela indústria da construção.

Aqui abaixo estão alguns pontos-chave relacionados à gestão de resíduos na construção civil:

1 -Plano de Gerenciamento de Resíduos: É essencial desenvolver um Plano de Gerenciamento de Resíduos (PGR) para cada obra. O PGR é um documento que estabelece as diretrizes e as ações a serem adotadas para a correta gestão dos resíduos gerados durante a construção.

2 - Classificação dos resíduos: Os resíduos da construção civil podem ser classificados em diferentes categorias, como resíduos inertes (ex: entulhos), resíduos recicláveis (ex: metais, plásticos) e resíduos perigosos (ex: tintas, solventes). A classificação adequada é importante para determinar o tratamento e a destinação corretos de cada tipo de resíduo.

3- Redução e reutilização: A primeira etapa da gestão de resíduos é a redução na geração de resíduos e a promoção da reutilização de materiais. Isso pode ser feito através do planejamento adequado da obra, do uso de materiais sustentáveis e duráveis, e da implementação de práticas de reutilização de materiais, como a utilização de sobras de concreto como agregado em novas obras.

4- Reciclagem: A reciclagem é uma prática importante na gestão de resíduos na construção civil. Materiais como concreto, tijolos, telhas, metais e plásticos podem ser reciclados e reintegrados em novos projetos. É necessário estabelecer parcerias com empresas especializadas na reciclagem desses materiais e garantir a separação adequada dos resíduos nas obras.

5- Descarte adequado: Os resíduos que não podem ser reduzidos, reutilizados ou reciclados devem ser destinados corretamente. Isso envolve a contratação de empresas de coleta e transporte de resíduos autorizadas, que encaminharão os resíduos para aterros sanitários licenciados ou outras formas de tratamento adequadas.

6- Educação e conscientização: Promover a conscientização entre os profissionais da construção civil sobre a importância da gestão de resíduos é fundamental. Treinamentos e campanhas de educação ambiental podem ajudar a disseminar boas práticas e incentivar a participação de todos os envolvidos no processo.

7- Fiscalização e regulamentação: As autoridades governamentais desempenham um papel importante na regulamentação e fiscalização da gestão de resíduos na construção civil. É importante que existam leis e regulamentos claros que estabeleçam as responsabilidades das empresas e garantam a aplicação adequada das práticas de gestão de resíduos.

A gestão de resíduos na construção civil é um desafio, mas também uma oportunidade de promover práticas mais sustentáveis e reduzir o impacto ambiental da indústria. É fundamental que todas

Espero que eu tenho sido claro

Um forte abraço

Anônimo
19 de junho de 2023 às 13:45

Você sabe como é feito o gerenciamento dos resíduos odontológicos e de farmácias?

20 de junho de 2023 às 19:26

Olá anônimo

Eu sei que um bom gerenciamento dos resíduos odontológicos e de farmácias é fundamental para garantir a segurança dos profissionais de saúde, dos pacientes e do meio ambiente. Além disso, esses resíduos podem conter materiais potencialmente infectantes, substâncias químicas e medicamentos vencidos, sendo necessário um manejo adequado.

Para um bom gerenciamento dos resíduos odontológicos, é importante seguir as normas estabelecidas pelos órgãos reguladores, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Alguns passos comuns incluem:

- Segregação: Os resíduos devem ser separados adequadamente em recipientes específicos, de acordo com suas características e riscos. Isso inclui recipientes para resíduos comuns, resíduos perfurocortantes (como agulhas e lâminas), resíduos químicos e materiais contaminados.

- Acondicionamento: Os resíduos devem ser acondicionados em recipientes resistentes, rígidos, impermeáveis, devidamente identificados e com tampa. Além disso, é importante utilizar sacos plásticos vermelhos para resíduos infectantes e sacos amarelos para materiais perfurocortantes.

- Armazenamento temporário: Os resíduos devem ser armazenados temporariamente em local adequado e seguro, respeitando as condições de higiene e segurança.

- Coleta e transporte: Os resíduos devem ser coletados por uma empresa especializada e devidamente licenciada para transporte de resíduos de saúde. Eles devem ser transportados em veículos apropriados e de acordo com as regulamentações vigentes.

- Tratamento e destinação final: Os resíduos odontológicos passam por tratamento adequado, como esterilização, incineração ou outros métodos apropriados, dependendo do tipo de resíduo. A destinação final deve ser realizada em locais autorizados e de acordo com a legislação ambiental.

No caso dos resíduos de farmácias, o gerenciamento também envolve a segregação, acondicionamento adequado, armazenamento temporário e coleta por empresas especializadas. Além disso, é importante considerar a devolução de medicamentos vencidos ou não utilizados pelos pacientes, seguindo as orientações dos órgãos reguladores e programas específicos para esse fim.

Espero ter te ajudado

Um abraço

23 de maio de 2024 às 13:05

Olá anônimo

A economia circular é um conceito que visa minimizar o desperdício e promover a reutilização, reciclagem e valorização dos recursos. Os resíduos sólidos desempenham um papel crucial nesse contexto. Vamos explorar sua importância:

- Redução do Consumo de Recursos Naturais: A economia circular busca prolongar a vida útil dos materiais e produtos. Ao reciclar e reutilizar resíduos sólidos, reduzimos a necessidade de extrair novos recursos naturais, como minerais e petróleo.
- Minimização do Descarte em Aterros Sanitários: O descarte inadequado de resíduos sólidos em aterros sanitários causa impactos ambientais negativos. Na economia circular, os resíduos são tratados como recursos valiosos, evitando seu acúmulo em aterros.
- Criação de Novos Produtos e Materiais: A reciclagem de resíduos sólidos permite a obtenção de matérias-primas secundárias. Esses materiais podem ser usados na fabricação de novos produtos, reduzindo a dependência de recursos virgens.
- Geração de Empregos e Inovação: A gestão adequada de resíduos sólidos cria oportunidades de emprego em setores como coleta seletiva, reciclagem e reparo. Além disso, a economia circular estimula a inovação em processos e produtos mais sustentáveis.
- Redução da Pegada de Carbono: A reciclagem e a reutilização de resíduos sólidos evitam a emissão de gases de efeito estufa associados à produção de novos materiais. Isso contribui para mitigar as mudanças climáticas.
- Conscientização e Educação: A economia circular requer uma mudança de mentalidade. Ao promover a conscientização sobre a importância dos resíduos sólidos e seu potencial de reaproveitamento, podemos criar uma sociedade mais sustentável.

Os resíduos sólidos basicamente são peças-chave na transição para uma economia circular, onde o desperdício é minimizado e os recursos são utilizados de forma mais eficiente.

Espero ter ajudado

Um abraço

Os comentários são sempre bem vindos, pois agregam valor ao artigo. Porém, existem algumas regras na Política de Comentários, que devem ser seguidas para o seu comentário não ser excluído:
- Os comentários devem estar relacionados ao assunto do artigo.
- Jamais faça um comentário com linguagem ofensiva ou de baixo calão, que deprecie o artigo exposto ou que ofenda o autor ou algum leitor do blog.
- Não coloque links de sites ou blogs no corpo do texto do comentário. Para isso, assine com seu Nome/URL ou OpenID.
-Não coloque seu email e nem seu telefone no corpo do texto do comentário. Use o nosso formulário de contato.
- Se encontrar algum pequeno erro na postagem, por favor, seja bem claro no comentário, pois a minha bola de cristal não é muito boa.
- Tem vezes que eu demoro pra responder, mas quase sempre eu respondo.
- Não seja tímido, se você tem alguma duvida ou sabe de algo mais sobre o assunto abordado no artigo, comente e compartilhe conosco :)

Back To Top